segunda-feira, 20 de março de 2017

Nós não vemos as coisas como elas são, nós vemos as coisas como nós somos.

Antes de começar o texto tenho uma pergunta a te fazer: Como você lida com as adversidades da vida?

Essa é uma pergunta que todos nós devemos nos fazer e ser honestos com nossa respostas. Quando eu digo ser honesto é para que você diga a verdade a si mesmo de como você vê a vida e como você reage a cada situação que você vive. Sim, porque se você não disser a verdade, você estará mentindo para si mesmo.

Vamos pegar a imagem do nosso cérebro e dividi-la em dois. O lado esquerdo de nosso cérebro é o nosso lado racional, aquele lado que faz você agir com razão, o correto, o lado que pensa, que aprende, a raciocina...o lado lógico e prático.
O lado direito do nosso cérebro é o lado emocional, aquele que faz você sentir, o lado emocional, intuitivo e criativo.

O fato é, todos nós temos essa dualidade dentro de nós mas é importante dizer que mesmo tendo os dois lados somos nós que comandamos o percurso de nossa vida. É preciso fazer uma analise bem profunda e verificar nossa forma de agir e de pensar, verificar nossos extremos, o lado positivo e negativo e ser sincero ao responder qual dos dois lados fala mais alto em nós. Será que conseguimos transformar algo negativo em positivo? Será que conseguimos ver algo de positivo  mesmo em meio as coisas ruins que nos acontecem? Pois é...essa resposta esta dentro de você e de sua atitude diante das adversidades da vida.

Você já ouviu falar em RESSIGNIFICAÇÃO?

Ressignificação é quando você atribui um novo significado a acontecimentos, através da mudança de sua visão de mundo. É quando você transforma uma determinada situação dentro de você ou seja,  é entender que nós não mudamos uma determinada coisa ou situação mas que nós mudamos o que aquela determinada coisa ou situação significa para nós.

Eu diria que é uma mudança de hábitos onde você começa a dar um novo sentido aos seus valores e suas crenças.

Nós não vemos as coisas como elas são, nós vemos as coisas como nós somos, portanto é preciso abandona velhos dogmas e começa a praticar sentimentos e pensamentos que te mostram que essas mudanças valem apena. Você transforma sua dor em aprendizado, o aprendizado em poder e você renasce aos poucos excluindo velhos hábitos e tornando esses novos filtros em sua realidade.

Atribuir um fator positivo as coisas que nos incomodam significa equilíbrio emocional. Você aprende a compreender muitas coisas que acontecem na sua vida.

Então, comece aos poucos a ressignificar a sua vida. Compreenda onde estão os pontos que te prendem a pensamentos e sensações que você sabe que não te fazem bem e mude-as. Eu sei que não é algo fácil de fazer mas é algo imensamente gratificante. Quando se vê com os olhos de esperança se vê muito mais longe e lembre-se...no próprio veneno você encontra a cura

Finalizo com uma frase de Jean Paul Sartre:

Não importa o que fizeram de mim, o que importa é o que eu faço com o que fizeram de mim.

Jean-Paul Sartre



sexta-feira, 3 de março de 2017

Uma belíssima lenda Africana

Recebi essa história de um amigo querido que sempre compartilha coisas belas...e se é belo, devemos seguir compartilhando...então, ai vai...gostosa leitura pra vocês



Diz uma lenda africana, que Oxum era a filha mais amada de Orumilá.

Quando a menina nasceu, seu pai deu-lhe de presente as águas doces, as cachoeiras e o poder de abençoar o ventre de todas as mulheres do reino.

Oxum cresceu bela, meiga e mimada. Tinha o coração doce, mas cheio de vontades.

Quando estava na idade de se casar, muitos pretendentes apareceram às portas do palácio de Orumilá. O primeiro a se apresentar foi Oxossi, o caçador, que presenteou o rei com lindas peles, animais e frutos em abundância. Orumilá acreditou que a filha seria feliz com aquele homem que sustentaria a casa e sempre proveria a mesa, afinal Oxossi era um grande caçador.

E Oxum foi entregue a Oxossi, indo com ele para a sua floresta.

Mas em pouco tempo Oxum estava triste e deprimida. Apesar de Oxossi ser forte e belo, passava o dia inteiro pelas matas, sempre em busca de troféus para os seu salão de caça. Além disso, observava Oxum, Oxossi possuía modos grosseiros, nunca a elogiava e sequer oferecia carinhos. Em lágrimas, Oxum enviou um mensageiro relatando as tristezas ao pai que imediatamente cancelou o noivado.

O segundo pretendente foi Ogum, o grande general, senhor dos exércitos de Oxalá. Além das patentes, Ogum era também um grande ferreiro. Pelas suas qualidades Oromilá acreditava que ao lado desse guerreiro, Oxum estaria sempre protegida. Assim, entregou a filha a Ogum, que a escoltou com seu poderoso exército.

Ogum também era forte, jovem e belo. Mas só pensava em guerrear, em criar estratégias e alimentar a vaidade do seu exército. Além disso, Ogum era ríspido com Oxum, e reclamava, sem medir palavras, sobre a meiguice e de Oxum - que considerava intragável.

Oxum chorou. Enviou um mensageiro relatando suas tristezas ao pai que imediatamente cancelou o noivado.

Muitos outros pretendentes continuaram a chegar, mas Oxum recusava a todos temerosa de sofrer novamente.

Um dia um maltrapilho pediu abrigo às portas do palácio de Orumilá. O Rei imediatamente quis dispensá-lo, mas Oxum compadeceu-se do peregrino e implorou ao pai que o acolhesse.

O homem banhou-se, ganhou roupas limpas, comeu, bebeu e repousou. Agradecido, fez uma trova que dedicou a Oxum. A princesa ficou encantada e pediu se aproximasse do trono. O homem recitou outros versos, contou-lhe histórias. E pediu permissão para lhe pentear os cabelos, enquanto lhe cantava trovas.

Um dia, o peregrino precisou partir. Curvou-se diante do trono e agradeceu a hospitalidade que lhe foi oferecida. Oxum chorou e disfarçadamente implorou ao pai que impedisse a partida do homem. Orumilá argumentou que nada poderia fazer para impedi-lo, a não ser acorrentá-lo, mas mesmo assim seria injusto, pois que ele nada de mal lhes fizera.

Depois da partida daquele estranho Oxum chorou as noites que se seguiram. Observando a lua, sentia a falta do humilde trovador.

Cansado de ver a filha triste e querendo ver sua filha desposada, Orumilá convidou os melhores partidos para que a filha escolhesse seu futuro esposo. Organizou um grande baile, mas Oxum, deprimida, não quis saber de ninguém. Aborrecido, o rei exigiu que a filha escolhesse por bem o futuro marido ou então, ele mesmo, o faria.

No dia da grande festa, Oxum passeou os olhos por entre os convidados, mas nenhum a agradou: todos eram homens ricos e poderosos; belos e fortes, mas nenhum lhe falava ao coração.

Foi então que Oxum avistou entre os convidados o andarilho trovador. A jovem correu até o homem, levou-o até o trono de Orumilá pedindo a ele que cantasse. O andarilho assim o fez. Sob o olhar de todos, cantou e recitou poemas - todos dirigidos a Oxum. A princesa, emocionada, disse ao pai que aquele homem era o homem que tanto sonhava. Orumilá, os convidados e toda a corte gargalharam. Onde já se vira tamanho disparate, a filha do rei casar-se com um mendigo? Oxum gritava defendendo o peregrino contra o desprezo dos demais.

Foi então que se ouviu o som de uma trovoada! O chão estremeceu e o peregrino foi atingido em cheio por um raio. Para grande surpresa e espanto de todo a corte, o estranho transformou-se em Xangô, o senhor da Justiça, o maior juiz de Iorubá.

Orumilá perguntou-lhe por que ele não se apresentara como realmente era desde o início. Xangô respondeu que não desejava o amor e nem o dote de Oxum. Ele desejava apenas uma mulher que fosse justa como ele, por isso, disfarçou-se de andarilho, preferindo conquistá-la pelo coração e pela sensibilidade. Ele agora tinha certeza de que Oxum seria a sua verdadeira rainha, pois que ela o amava, não por seu poder, mas por suas qualidades.

Abatido pela sabedoria de Xangô, Orumilá concedeu a mão de sua filha.

Xangô levou Oxum para o seu reino, em Oyó, onde a princesa foi coberta de carinhos dengos, sedas, e filhos. Xangô a presenteou de Bondade e Amor tornando-a Rainha do Ouro e da Prosperidade. Oxum nunca mais chorou de tristeza. Se o fez, foi somente de alegria. Ah! Antes de terminar essa lenda, ela aprendeu a cantar todas as cantigas de Xangô. A quem jamais deixou.


http://meumestreinterior.blogspot.com.br/

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Os três filtros de Sócrates

O bom de ter contato com muitas pessoas são as várias histórias que você ouve. Esses dias conversando com uma conhecida, ela me disse que havia ficado chateada com uma pessoa querida porque vieram lhe falar uma suposta história sobre essa amiga...depois que ouvi, eu perguntei a ela se ela realmente confiava na pessoa que lhe contou, porque como dizia minha mãe...quem tem boca fala o que quer. 
Falei minha opinião e aproveitei para comentar com ela sobre os 3 filtros de Sócrates, que eu sempre uso ante qualquer situação...
Isso tudo me deu um estalo e então resolvi compartilhar ele com vocês. Porque sei que muitos não o conhecem e que é imensamente útil quando começamos a usá-lo. É bom para nós porque aprendemos a não fazer o mesmo, além de evitar que venham contar coisas não serão uteis para nós e não nos fará bem...

Ótima leitura



Na antiga Grécia, Sócrates tornou-se famoso pela sua sabedoria e pelo grande respeito que manifestava por todos. Um dia, veio ao encontro do filósofo um homem, seu conhecido, que lhe disse:


- Sabes o que me disseram de um teu amigo?

- Espera um pouco - respondeu Sócrates. Antes de me diseres alguma coisa, queria que passasses por um pequeno exame. Chamo-lhe o exame do triplo filtro.

- Triplo filtro?

- Isso mesmo - continuou Sócrates. Antes de me falares sobre o meu amigo, pode ser um boa ideia filtrares três vezes o que me vais dizer. É por isso que lhe chamo o exame de triplo filtro.

O primeiro filtro é a verdade. Estás bem seguro de que aquilo que me vais dizer é verdade?

- Não - disse o homem. Realmente só ouvi falar sobre isso e ...

- Bem! - disse Sócrates. Então, na realidade, não sabes se é verdadeiro ou falso.

Agora, deixa-me aplicar o segundo filtro, o filtro da bondade. O que me vais dizer sobre o meu amigo, é uma coisa boa?

- Não. Pelo contrário...

- Então, queres dizer-me uma coisa má e que não estás seguro que seja verdadeira. Mas posso ainda ouvir-te, porque falta um filtro, o da utilidade. Vai servir-me para alguma coisa saber aquilo que me vais dizer sobre o meu amigo?

- Não. De verdade, não...

- Bem - concluiu Sócrates. Se o que me queres dizer pode nem sequer ser verdadeiro, nem bom e nem me é útil, para que é que o queria saber?

O que eu diria....use sempre estes 3 filtro cada vez que ouvires  comentários...seja eles sobre algum dos teus amigos, especialmente os mais próximos e mais queridos, ou no trabalho, na família...

Isso evita que você guarde chateações, mágoas ou tristeza que muitas vezes podem não ser verdadeiras.


segunda-feira, 15 de agosto de 2016

A História de Nossa Senhora do Sorriso


Confesso que não sabia que existia uma santa cujo o nome é Nossa Senhora do Sorriso e quando descobri, inicie minha busca por saber o rosto que ela tem e me surpreendi quando li a história...principalmente porque essa história acontece com Santa Terezinha do Menino Jesus...




Porque te amo, Maria
Cedo irei para o céu a fim de lá te ver.

Tu que, no amanhecer da vida, me sorriste,

Vem me sorrir de novo, ó Mãe!

Santa Terezinha do Menino Jesus



Nossa Senhora do Sorriso foi o nome dado por Santa Terezinha do Menino Jesus a Nossa Senhora das Vitórias, quando ela (santa Terezinha) foi curada de uma grave enfermidade pelo sorriso que Nossa Senhora lhe deu. Santa Terezinha disse: “Não eram meus desejos que poderiam produzir um milagre, e para minha cura se fazia mister um milagre. Foi Nossa Senhora das Vitórias que o fez.”



História de Nossa Senhora do Sorriso

Quando era pequena, Santa Terezinha perdeu sua mãe. Sua irmã mais velha, Paulina, passou a cuidar dela e da família. Passado algum tempo, Paulina entrou para o Carmelo. Terezinha, já muito triste com a morte da mãe, fica doente com a separação de sua irmã. Uma depressão muito forte se abateu sobre ela e nenhum médico consegue descobrir qual a sua doença. Ela ficou de cama, sofrendo muito, com apenas 14 anos de idade.


O Milagre de Nossa Senhora do Sorriso

Paulina, sabendo da doença, intensificou as orações a Nossa Senhora, junto com as irmãs do Carmelo. O pai de Terezinha, muito devoto deNossa Senhora das Vitórias, mandou rezar uma novena de missas em sua intenção e colocou ao lado de sua cama a imagem de Nossa Senhora das Vitórias. E todos da família começaram a rezar para a menina doente.


Na sua autobiografia, intitulada “História de uma Alma”, a jovem Santa Terezinha relatou admiravelmente que foi curada de sua doença graças à intervenção de Nossa Senhora:

“No dia 13 de maio de 1883, festa de Pentecostes, do meu leito, virei meu olhar para a imagem de Maria, e de repente a imagem pareceu-me bonita, tão bonita que nunca tinha visto nada semelhante. Seu rosto exalava uma bondade e ternura inefáveis, mas o que calou fundo em minha alma foi o sorriso encantador da Santíssima Virgem. Todas as minhas penas se foram naquele momento, e lágrimas escorreram de meus olhos, de pura alegria. Pensei, a Santíssima Virgem sorriu para mim, foi por causa das orações que eu tive a graça do sorriso da Rainha do Céu.”


Devoção a Nossa Senhora do Sorriso

Santa Terezinha, intuitivamente, passou a chamar a imagem de Virgem do Sorriso. Por isso, a devoção iniciou mesmo em sua própria casa, junto dos membros de sua família. Depois disso, claro, ela levou esta linda devoção para o Carmelo da cidade de LIsieux. Lá, a jovem santa entrou com 15 anos, depois que o Papa Leão XIII deu autorização especial. Após a morte de Santa Terezinha, a devoção começou a ser divulgada por todos os conventos Carmelitas e também fora dos conventos, por todo o mundo todo.
A imagem de Nossa Senhora do Sorriso

A escultura original de Nossa Senhora do Sorriso tem aproximadamente 1 metro de altura. Ela é a reprodução perfeita da obra de um artista chamadoBouchardom. A imagem ficou em frente à enfermaria do Carmelo até quando Santa Terezinha, muito jovem ainda, com 24 anos morreu, no ano de 1897. Hoje, a imagem original está na Igreja do Carmelo francês de Lisieux, onde Santa Terezinha viveu e morreu. A imagem fica sobre uma cripta de vidroonde estão depositadas suas relíquias. A comemoração de Nossa Senhora do Sorriso acontece no dia 15 de agosto.




Oração a Nossa Senhora do Sorriso

Ó Maria, mãe de Jesus e nossa, que, com um claro sorriso vos dignastes consolar e curar vossa filha Santa Terezinha do Menino Jesus, da depressão, devolvendo-lhe a alegria de viver, e o sentido da sua existência em Cristo Ressuscitado. Ó Virgem do Sorriso, olha com maternal afeto para tantos filhos e filhas que sofrem com a depressão, transtornos e síndromes psiquiátricas e males psicossomáticos.


Que Jesus Cristo cure e dê sentido à vida de tantas pessoas, cuja existência as vezes esta deteriorada. Maria, que seu belo sorriso não deixe que as dificuldades da vida obscureçam nosso ânimo. Sabemos que só o seu filho Jesus pode satisfazer os anseios mais profundos no nosso coração. Maria, mediante a luz que brota de seu rosto, transparece a misericórdia de Deus. Que seu olhar nos acaricie, e nos convença que Deus, nos ama e nunca nos abandona. A sua ternura renove em nós, a auto estima, a confiança nas próprias capacidades, o interesse pelo futuro e o desejo de viver feliz. Que os familiares dos que sofrem com depressão ajudem no processo de cura, nunca os considerando farsantes da enfermidade com interesses de comodidade, mas os valorizem, escutem, compreendam e os animem. Virgem do Sorriso, alcance-nos de Jesus, a verdadeira cura, e livra-nos de alívios temporários e ilusórios. Curados, comprometemo-nos a servir com alegria, disposição e entusiasmo Jesus, como discípulos missionários, com nosso testemunho de vida renovada. Amém.


Fonte: cruz terra santa

quinta-feira, 12 de maio de 2016

PRETO VELHO


SOU PRETO. Negro como a noite sem estrelas. Sou velho. Velho como as vidas de meus irmãos.
Mas, se sou ainda negro, é porque trago em mim as marcas do tempo, as marcas de Cristo. Essas marcas são as estrelas de minha alma, de minha vida.
Sou negro. Mas a brancura do linho se estampa na simplicidade do meu olhar, que tenta ver apenas o lado bonito da vida
Sou velho sim. Mas é na experiência da vida que se adquire a verdadeira sabedoria, aquela que vem do ALTO.
Sou velho. Velho no falar, velho na mensagem, velho nas tentativas de acertar.
A minha força da vida se estrutura nas vivências. É  à medida que construímos nossa experiência qie essa força se apodera de nós, nos envolve e nós então nos saturamos dela. É a força e a coragem de ser você mesmo, de não se acovardar diante das lutas, de continuar tentando.
Sou forte. Mas quando me deixo encher de pretensões, então eu descubro que sou fraco. Quando aprendo a sair de mim mesmo e ir em direção ao próximo, aí eu sei que me fortaleço.
Eu sou preto, sou velho,sou humano. Mas sou humano sem corpo.
Sou como você, sou espírito. Sou errante,aprendiz de mim mesmo. Na estrada da vida, aprendi que até hoje e possívelmente para sempre, serei apensa o aprendiz da vida.
Sou andarilho. Pelas estradas da vidaeu corro, eu ando. Tudo isso para aprender que, como vocêr, eu sou um cidadão do universo, viajor do mundo.
Sou um semeador da paz.
Sou preto, sou velho, sou espírito.
Sou eu,Pai João de Aruanda.

Saravá 13 de maio, Saravá os Pretos Velhos, Adorei as Almas

Texto tirado do livre - Sabedoria de Preto Velho - Robson Pinheiro

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

DIA 2 DE FEVEREIRO, É DIA DE YEMANJÁ



Ontem foi dia de festa nos terreiros e nas praias do Brasil e do Mundo. Dia 2 de fevereiro, dia minha mãe das águas, dia de Maria, de Janaína, de Dandalunda, de Marabô,da Princesa de Ayôcá, de Inaê,da Sereia,de Mucunâ,de Dona Yemanjá.
Dia de agradecer de braços abertos em frente ao mar e pedir proteção para o ano que se inicia. Dia de festa, de comemoração,de luz, de paz...dia envolto de Amor e de Fé.
Para aqueles que acreditam na energia do ano, 2016 é ano regido por Oxalá e de Yemanjá. Ano de fortes acontecimento mas principalmente de grandes resoluções e soluções. Por isso neste ano o dia 2 de fevereiro teve um elemento a mais do que os outros. 
Sinto que a cada ano as pessoas se entregam mais para a Fé. De alguns anos para cá é nítido que as pessoas buscam um alicerce, um conforto para a alma e para o coração. Conforto esse que só a Fé nos traz. 
Essa entrega, essa confiança, esse sentimento bom de proteção nos dá a força que necessitamos para seguir em frente e quando nos enregamos de coração aberto sabemos que coisas boas recebemos, porque emanamos essa energia e isso se reflete em nossa vida.
Pois bem, na minha vida também foi assim. Todos os caminhos me levaram para a Umbanda. 
Nasci em uma Família Católica, não muito praticante, mas me foram passados todos os princípios que toda Família Católica aprende. Com isso aprendi também muitos paradigmas que são passados de geração em geração e que também se aprende em toda Família Católica (creio que não só nas católicas).
Sempre tive uma relação incrível com Deus. Sempre - por toda minha vida - senti a presença dele super forte ao meu lado...nós dois sempre "batemos altos papos" em qualquer lugar, a qualquer momento, sem ao menos me importar se olhavam pra mim só porque falava sozinha na rua ou no ônibus (pobre de quem achava que eu falava sozinha...kkk ;) )
E essa força que eu sentia muitas vezes me fez ver algumas coisas, me fez sentir algumas coisas e me fez prever algumas coisas...e isso foi despertando a minha atenção, porque eu queria entender o que estava acontecendo comigo. Lembro que eu era pequena e minha mãe uma vez foi a um vidente e ele avisou a minha mãe para me levar a um centro porque eu precisaria desenvolver a minha mediunidade, mas é claro que por causa da maneira como ela foi criada, e não é culpa dela, minha mãe não me levou nunca.
Mas meu caminho era a Umbanda e um dia a imagem de Yemanjá me chamou a atenção. Não sei dizer quando, nem o porque, mas foi amor a primeira vista. E foi esse amor que me levou a primeira vez a um centro de Umbanda. 
Hoje, mais de 10 anos se passaram desde o primeiro dia que pisei no terreiro e meu amor e devoção por ela só crescem. Nessa primeira década ela não só me colocou no caminho que quero seguir pra sempre, mas ela me ensinou a amar, respeita e a fortalecer ainda mais a minha Fé. Ela e toda a falange da minha amada Umbanda me ensinaram que para fazer o bem ao próximo, nós precisamos estar bem, que a Fé move sim montanhas e que você pode muitas vezes ser exemplo para alguém, sem nem ao menos precisar saber.  
Minha mãe Yemanjá me ensinou que nada é por acaso, que tudo na vida é um aprendizado divino e que cabe a nós escolher o caminho que queremos seguir, mas que TUDO sempre tem um retorno, então, cuidado com nossas escolhas.
Por isso sou eternamente grata a ela. Porque ela olha e cuida de mim todos os dias. Ela me ensinou a ser uma pessoa melhor, a buscar sempre o bem e me mostra o quanto devemos ser gratos por tudo que recebemos.
Odoyá minha mãe das águas, Odocyaba minha sereia do mar...que suas águas lavem sempre nosso Ori e nos protejam de todo mal. Que nossas vidas sejam serenas como o mar, mas sempre que a maré precisar subir, estejamos de mãos dadas com você sentindo a segurança de que tudo no final sempre dá certo...
Obrigada por permitir que eu seja sua filha...minha gratidão e meu amor eternos pra ti linda senhora 


sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

A força do salmo 91



Há algum tempo estou ensaiando voltar a escrever no blog. Escrevo, deleto, volto a escrever e desisto, mas sempre com aquela vontade de voltar a publicar coisas que tem a ver comigo...algumas que eu escrevo, muitas que leio e gosto de compartilhar, mas tudo que esta aqui tem a ver comigo e com o que eu penso sobre a vida. 
Fazendo minhas leituras me deparei com um site muito bacana  chamado Universo Espiritual. Uma de suas publicações fala sobre o entendimentos que devemos ter sobre o que lemos e fala sobre um dos salmos mais fortes da bíblia que é o 91. Eu particularmente gostei muito e espero que vocês também gostem. 

Boa leitura a todos =)

Luz e paz 



Este Salmo é um dos mais destacados capítulos da Bíblia. Muitos o conhecem de cor. Mas precisa ser interpretado do ponto de vista espiritual, para se atingir seu verdadeiro significado. Encare-o como uma das mais belas e envolventes preces da Bíblia. Pessoas em todo o mundo o encaram como a grande prece para proteção. Meditemos neste Salmo em detalhes, detendo-nos no significado profundo de cada versículo.


Versículo 1: “O que habita no esconderijo do altíssimo repousará à sombra do onipotente”:
O lugar secreto é sua própria mente, onde você caminha e fala com a Presença e Poder Infinitos dentro de si. É seu Eu Superior o Espírito Vivo, ou Deus, dentro de você. É chamado de lugar secreto porque ninguém sabe o que você está pensando ou em que medita. Refugie-se com frequência no pensamento e contemple a Presença de Deus dentro de você. Fazendo isto várias vezes ao dia, diz-se que você habita no lugar secreto.

Repousar à sombra do Onipotente significa viver sob a ofuscante Presença de Deus e ser por Ela protegido. A palavra sombra é uma expressão oriental que indica segurança.
A palavra Onipotente significa que esta Presença que existe dentro de você é Toda-Poderosa. Nada a Ela se opõe nem A desafia, e quando você se une a Deus, dá-se conta de que para Deus tudo é possível. Todas as bênçãos da vida se destinam àqueles que têm por hábito alinhar-se com o Infinito, pedindo paz, harmonia, diretrizes e toda sua fidelidade, lealdade e devoção ao Deus Vivo que existe dentro de você, e todas as maravilhas acontecerão em sua vida.

Versículo 2: “Direi sobre o Senhor: ele é meu refúgio e minha fortaleza; é meu Deus, nele confiarei”:
O Senhor significa EU SOU, ou a Presença de Deus dentro de você. Quando era criança, você confiava em sua mãe, olhando dentro de seus olhos, lá havia amor. Deposite sua confiança no oceano infinito de amor, que é Deus, dentro de você. É o seu Eu Superior, puro Espírito. Ao afirmar a verdade deste segundo versículo, o escudo invisível de Deus o envolve, tornando-o impermeável a qualquer mal. Confie no Infinito, sem se preocupar com as aparências, e encontrará o caminho, a saída. Afirme com confiança: "Deus se preocupa comigo, Ele conhece e me revela a resposta." Você deve, então, depositar sua confiança no amor de Deus, em vez do perigo ou dificuldade iminente.

Versículo 3 e 4: “Certamente ele o livrará da armadilha do caçador de pássaros, e da peste perniciosa. Ele o cobrirá com suas penas, e sob suas asas estará seguro, pois sua verdade será escudo e defesa”:

Esses versículos são bem explícitos e demonstram que você está protegido de qualquer doença contagiosa, infecciosa ou epidêmica, além dos venenos morais. Além do mais, estará também protegido dos vigaristas, ou do caçador de pássaros, que tenta montar uma armadilha para roubar seus bens ou sua poupança por meio de negócios fraudulentos. Seu Eu Superior o alertará e despertará para que não caia nas ciladas. O pássaro protege sua cria cobrindo-a com suas asas; os filhotes ficam livres do perigo.

Versículos 5 e 6: “Não temerá o terror noturno, nem a flecha que voa de dia, nem a peste que se espalha nas trevas, nem a destruição que grassa ao meio-dia”:
Você nunca deve ir dormir sem antes penetrar no espírito do perdão para si mesmo e todos os outros. Liberte-os a todos em Deus e deseje-lhes as bênçãos da vida. Faça questão de dormir em paz e despertar com alegria. Seu subconsciente amplifica tudo aquilo que você depositar nele. Contemple as grandes verdades de Deus antes de dormir e repousará em paz e se sentirá descansado e refeito pela manhã.

A flecha que voa de dia e a destruição que grassa ao meio-dia se referem aos pensamentos e sugestões negativas que você ouve durante o dia, além das vibrações negativas da mentalidade massificada na qual estamos todos imersos. Se você continuar orando, restará muito pouco espaço em sua mente para estas sugestões negativas da mentalidade preconceituosa que penetram em todos nós.


A destruição do meio-dia representa os problemas diurnos, dificuldades e empecilhos de que você tem conhecimento, bem como problemas financeiros ou conflitos emocionais com os outros. Você sabe que invocando a Presença Infinita e Benéfica, Sua lei e ordem, obterá resposta, trazendo ao seu ambiente harmonia e paz.
O terror noturno e a peste que se espalha nas trevas podem se referir aos conflitos ocultos em seu subconsciente, moléstias iminentes, ou às atividades de pessoas que tentam abalá-lo agindo às ocultas. Você é aconselhado a não temer, porque a sabedoria do mais profundo de sua mente lhe revelará qualquer dificuldade oculta, vinda de qualquer fonte.

Versículos 7 e 8: “Mil cairão do seu lado, e dez mil à sua direita, mas nada o atingirá”:
Isto significa que você pode desenvolver imunidades contra qualquer mal. Você fica inundado de Deus e recebe anticorpos Divinos. A níveis mentais bem elevados, certas pessoas descobriram que não eram tocadas em meio a uma saraivada de balas. Muitos também descobriram a imunidade contra o fogo quando seus aviões se incendiavam e eles não eram atingidos. O fogo queima, mas a níveis de consciência mais elevados não queima.

Os milhares de pensamentos negativos que nos bombardeiam a cada dia não podem perturbar ou danificar o homem que caminha com Deus e fala com Deus, e que se dá conta de que, devido à Presença de Deus dentro dele, não pode ser atingido, não pode ser ferido, nem pode sofrer.

Deus em você é onipotente, eterno, supremo, e a única realidade. Muita gente imagina o perigo ou os desastres em visões interiores e fantasiosas. Temem a doença, acidentes, velhice, e perdas de todos os tipos. Medo e ansiedade são formas de perversidade. Ressentimento, raiva e má-vontade são estados emocionais que se expressam sob a forma de sofrimento e carência. Veja apenas o que é agradável e as coisas boas de contar. Aquilo que você perceber em espírito e aceitar em sua mente acontecerá na sua experiência, e você será abençoado.

Versículos 9 e 1O: “Porque fez do Senhor o teu refúgio, e do Altíssimo, sua habitação, nenhum mal o atingirá, nem qualquer praga chegará a sua casa”:
Esta é uma promessa muito bela e bem definida. Mostra que você será sempre protegido, dirigido e observado pela magia do amor de Deus. Pensando frequentemente que Deus o ama, guia e dirige, que cuida de você, estará fazendo do Altíssimo sua habitação, porque lembra a si mesmo, constantemente, que o amor de Deus o envolve, encerra e circunda.

Portanto, estará sempre imerso na Sagrada Onipresença e nenhuma dificuldade o atingirá. Isto está determinado de maneira clara e definitiva. Resultados, situações e experiências se seguem ao seu pensamento e imaginação normais. Seu estado mental sempre se manifesta na tela do espaço. Habitando as grandes verdades deste Salmo, você pode desenvolver imunidades contra qualquer perigo.

Versículo 11 e 12: “Pois Ele encarregará seus anjos de protegê-lo, para guardá-lo em todos os caminhos. Eles o levarão pela mão, para que não tropece nas pedras.”
Este texto magnífico toca no coração a melodia de Deus. Conscientize-se do significado destas promessas. Os anjos representam os mensageiros de Deus, impulsos de inspiração que agem dentro de você; idéias espontâneas que trazem luz à sua mente, revelando-lhe a resposta; sopros interiores do Espírito; e advertências internas que o guiam e guardam. Encare os anjos como diretrizes Divinas, que o conduzem em todos os seus encargos, na escolha de sua comida, companhias, meios de expressão, investimentos e todas as outras fases de sua vida. Em outras palavras, você estará salvaguardado em todas as suas jornadas e tarefas.

Versículo 13: “Com os pés esmagará leões e cobras; sim, leões ferozes e cobras venenosas”:
Ao começar a rezar e usar este Salmo, estará demonstrando sua fé em Deus e atirando seu amor até o Infinito. Enquanto perseverar, o dia nascerá para você e todas as sombras se dissiparão. Na Bíblia, o "nome" de uma coisa significa a sua natureza. A natureza da Inteligência Infinita é a resposta. Ela responde ao seu pensamento. Deus é tudo que existe. Além de ser voltado para a resposta.


Deus é todo-poderoso, toda sabedoria, amor ilimitado, harmonia absoluta, paz absoluta, é onisciente e onipresente. "Conhecer" todos estes atributos, potências e qualidades de Deus é colocar-se no Alto, acima de seus problemas, e libertar-se devido à sua compreensão e profunda conscientização. Contemplar a Deus em ação significa harmonia e paz em tudo que o cerca. Você se torna aquilo que contempla; assim todas as suas dificuldades desaparecem.

Versículo 15 e 16: “Quando me invocar, eu lhe responderei; estarei com ele na hora da dificuldade; vou libertá-lo e honrá-lo. Eu lha darei a satisfação de ter uma longa vida, e demonstrarei minha salvação”:
Só a Inteligência Infinita conhece a resposta. Ao se voltar para Aquele Que É Todo Sabedoria, Ele se voltará para você. Segundo a lei da relação recíproca, Ele responde conforme a natureza de seu pedido. Você pode ter resposta para todos os problemas, receber diretrizes na hora da perplexidade, obter vitória em todos os desafios, e penetrar no triunfo espiritual.

A vida longa prometida é uma vida de felicidade, onde você se liberta, se sente útil e contente. Deus é Vida, e é sua vida agora. Você viverá para sempre. Primeiro ponha Deus em sua vida, e Deus lhe mostrará a estrada da vida, e todos os seus caminhos serão caminhos na alegria, e todas as suas estradas serão estradas de paz.

FONTE: LIVRO " CANÇÕES DE DEUS" - Joseph Murphy

http://www.espiritualesuniversi.com/SAIBA-POR-QUE-O-SALMO-91-E-O-MAIS-PODEROSO-ESCUDO-DE-PROTECAO-QUE-EXISTE

segunda-feira, 27 de abril de 2015

SEJA VOCÊ MESMO E ESFORCE-SE PARA SER FELIZ - OSHO



“Siga placidamente em meio ao barulho e à pressa e lembre-se da paz que se encontra no silêncio. Tanto quanto possível, sem se humilhar, viva bem com todas as pessoas. Fale sua verdade, clara e mansamente. E escute os outros, mesmos os estúpidos e ignorantes; eles também têm uma história para contar.

Evite as pessoas escandalosas e agressivas; elas afligem o espírito. Se você se comparar com outros, pode se tornar vaidoso ou amargo, pois sempre haverá pessoas superiores e inferiores a você.

Viva intensamente seus ideais e o que você já conseguiu realizar.

Mantenha-se interessado em sua carreira, por mais humilde que seja; ela é um verdadeiro tesouro na contínua mudança dos tempos. Tenha cautela em seus negócios, pois o mundo é cheio de armadilhas. Mas não deixe que isso venha a cegá-lo para a presença da virtude; muitas pessoas lutam por grandes ideais, e em todos os lugares a vida é cheia de heroísmo.

Seja você mesmo. Sobretudo não finja afeição. Nem seja cínico quanto ao amor; pois, diante de toda a aridez e de todo o desencanto, ele é tão perene quanto a relva. Aceite delicadamente o conselho dos anos, renunciando graciosamente às coisas da juventude. Cultive a força do espírito para proteger-se em caso de um inesperado infortúnio. Mas não se desgaste com temores imaginários. Muitos medos nascem da fadiga e da solidão.

Ao lado de uma disciplina saudável, seja gentil consigo mesmo.

Você é filho do universo, assim como as árvores e as estrelas; você tem o direito a estar aqui. E, quer você entenda, quer não, o universo está se desenrolando como deveria. Portanto, fique em paz com Deus, seja qual for a forma como você o concebe. E, quaisquer que sejam seus trabalhos e aspirações, na confusão ruidosa da vida, mantenha a paz em sua alma. A despeito de todas as fraudes, enganações e sonhos perdidos, este ainda é um mundo belo. Seja alegre. Esforce-se para ser feliz."

OSHO - Livro "Filhos do Universo: Reflexões sobre Desiderata". ed. verus
via página Consciente Coletivo

sábado, 28 de fevereiro de 2015

TOQUE DE FÉ - EMMANUEL






Hospedaste conflitos do pensamento sem perceber e por isso te afliges.
Entretanto asserena-te e espera.
Muitas das inquietações que te pungem o Espírito não passam de nuvens formadas por tua própria imaginação.
A pessoa que te parece suspeita, qual se te fosse um adversário prestes a ferir-te, talvez esteja em tua área de ação, buscando auxiliar-te.
O desencanto experimentado terá sido provavelmente o meio de que se valeu a Sabedoria Divina para livrar-te de tribulações futuras, cujo peso não suportarias de pé.
Aconteça o que acontecer, guarda-te em paz, oferecendo aos outros o melhor de ti, a fim de que os outros te ofertem o melhor que disponham.
Ainda que fardos de sofrimento se te amontoem na vida, permaneça firme em tua FÉ e em teu caminho, porquanto nenhuma tempestade, por mais arrasadora , te pode arrancar a proteção de Deus.

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

DETOX NA VIDA – PORQUE A SAÚDE NÃO MORA SÓ NO CORPO


Quando um texto é bom temos o dever de compartilhar..Boa leitura a todos e reflitam bem, porque a saúde não mora só no corpo,por Ruth Manus

Passou o natal, passou o ano novo, passou o carnaval. The game is over e a vida real pede passagem. É nessa hora que a febre detox-vida-nova-entrar-nos-eixos vem com força ainda maior- se é que isso é possível.

Detox vem da ideia de desintoxicar, tirar do corpo tudo o que não lhe faz bem. Louvável, sem dúvida nenhuma. Mas o problema começa quando as pessoas resolvem achar que duas garrafas de suco verde são a milagrosa solução para melhorar suas vidas.

2015 tá aqui na nossa frente e de nada vai adiantar desintoxicar o corpo, se a vida e a alma estão povoadas de hábitos, pessoas, dias e caminhos tóxicos. Parasitas, comodismos, vícios, medos.

Gente tóxica é o que mais tem. Gente cinza, amarga, invejosa, gente que gosta de problema, que gosta de doença, que gosta de discórdia, gente que vive de aparência, gente rasa. E não tem jeito, temos que fugir mesmo, cortar, evitar ao máximo. Bom dia, boa tarde e até logo. Não nos deixemos contaminar.

Não adianta comer chia toda manhã se a gente odeia o emprego e já sai de casa com vontade de voltar. Não dá para achar que o corpo vai estar puro se você não acredita no que faz e passa mais de 40 horas da semana ruminando tarefas infelizes.

Não adianta beber 3 litros de água por dia quando se está num relacionamento que afundou. É cômodo, todos sabemos. Mas a vida é uma só e não dá para ver os dias, meses e anos passarem com migalhas de amor e sem vestígios de paixão.

Não adianta colocar linhaça nas receitas quando só se reclama da vida, dos outros, do país, do calor, da chuva, do trânsito. É um círculo vicioso, quanto mais a gente fala das coisas ruins, menos atenção a gente dá às coisas boas e a vida vai ficando ruim, ruim, ruim.

É ilusão achar que a mudança vem de fora para dentro. Que a felicidade e a saúde cabem em embalagens plásticas com códigos de barra. Produtos podem ser ótimos coadjuvantes nessa busca, mas a verdadeira mudança é só o protagonista quem faz.

E eu quero um 2015 detox.

Detox de dias iguais.

Detox de gente ruim.

Detox de maus hábitos.

Detox de inveja.

Detox de relações doentes.

Detox de obsessões.

Detox de pessimistas.

Detox de medo de mudar.

Detox de dias desperdiçados.

Detox de sentimentos pobres.

Detox de superficialidade.

Detox de vícios.

Detox de viver por viver.

E pra fazer detox na vida é preciso coragem. Coragem para mudar, para arriscar, para romper, para fechar ciclos que há muito tempo deveriam ter terminado. O ano oficialmente começou e a pergunta é: vai ter só suco verde ou vai ter detox na vida?

Por: Ruth Manus

Via: http://vida-estilo.estadao.com.br/blogs/ruth-manus/detox-na-vida/

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

REFLEXÃO DO DIA




"Ser Feliz é uma escolha... Atitude!

1. Não guarde rancor.
As pessoas felizes entendem que é melhor perdoar e esquecer do que deixar que sentimentos negativos as dominem. Guardar rancor é prejudicial e pode causar depressão, ansiedade e estresse. Por que deixar que uma ofensa de alguém exerça algum poder sobre você? Se você esquecer os seus rancores, vai ganhar uma consciência clara e energia suficiente para apreciar as coisas boas da vida.


2. Trate todos com bondade.
Você sabia que foi cientificamente provado que ser gentil faz você feliz? Ser altruísta faz seu cérebro produzir serotonina, um hormônio que diminui a tensão e eleva o seu espírito. Tratar as pessoas com amor, dignidade e respeito permite que você construa relacionamentos mais fortes.

3. Veja os problemas como desafios.
A palavra “problema” não faz parte do vocabulário de uma pessoa feliz. Um problema, na maioria das vezes, é visto como uma desvantagem, uma luta ou uma situação difícil. Mas quando encarado como um desafio, pode se transformar em algo positivo, como uma oportunidade. Sempre que você enfrentar um obstáculo, pense nele como um desafio.

4. Expresse gratidão pelo que já tem.
Há um ditado popular que diz: “As pessoas mais felizes não têm o melhor de tudo, elas fazem o melhor de tudo com o que elas têm.” Você terá um sentido mais profundo de contentamento se contar suas bênçãos em vez de ansiar pelo que você não tem.

5. Sonhe grande.
As pessoas que têm o hábito de sonhar grande são mais propensas a realizar seus objetivos do que aquelas que não o fazem. Se você se atreve a sonhar grande, sua mente vai assumir uma atitude focada e positiva.

6. Não se preocupe com as pequenas coisas.
As pessoas felizes se perguntam: “Será que este problema terá a mesma importância daqui a um ano?” Elas entendem que a vida é muito curta para se preocupar com situações triviais. Deixar os problemas rolarem à sua volta vai, definitivamente, deixar você à vontade para desfrutar de coisas mais importantes.

7. Fale bem dos outros.
Ser bom é melhor do que ser mau. Fofocar pode até ser divertido, mas, geralmente, deixa você se sentindo culpado e ressentido. Dizer coisas agradáveis sobre as pessoas leva você a pensar positivo e a não se preocupar em julgá-las.

8. Não procure culpados.
Pessoas felizes não culpam os outros por seus próprios fracassos. Em vez disso, elas assumem seus erros e, ao fazê-lo, mudam para melhor.

9. Viva o presente.
Pessoas felizes não vivem do passado nem se preocupam com o futuro. Elas saboreiam o presente. Se envolvem em tudo o que estão fazendo no momento. Param e cheiram as rosas.

10. Acorde no mesmo horário todos os dias.
Você já reparou que muitas pessoas bem-sucedidas tendem a ser madrugadores? Acordar no mesmo horário estabiliza o metabolismo, aumenta a produtividade e nos coloca em um estado calmo e centrado.

11. Não se compare aos outros.
Todos têm seu próprio ritmo. Então, por que se comparar aos outros? Pensar ser melhor que outra pessoa leva a um sentimento de superioridade não muito saudável e, se pensar o contrário, acabará se sentindo inferior. Então, concentre-se em seu próprio progresso.

12. Escolha seus amigos sabiamente.
A miséria adora companhia. Por isso, é importante cercar-se de pessoas otimistas que vão incentivá-lo a atingir seus objetivos. Quanto mais energia positiva em torno de você, melhor você vai se sentir.

13. Não busque a aprovação dos outros.
As pessoas felizes não se importam com o que os outros pensam delas. Seguem seus próprios corações, sem deixar os pessimistas desencorajá-los, e entendem que é impossível agradar a todos. Escute o que as pessoas têm a dizer, mas nunca busque a aprovação de ninguém.

14. Aproveite seu tempo para ouvir.
Fale menos, ouça mais. Escutar mantém a mente aberta. Quanto mais você ouve, mais conteúdo você absorve.

15. Cultive relacionamentos sociais.
Uma pessoa só é uma pessoa infeliz. Pessoas felizes entendem o quão importante é ter relações fortes e saudáveis. Sempre tenha tempo para encontrar e falar com sua família e amigos.

16. Medite.
Ficar no silêncio ajuda você a encontrar sua paz interior. Você não tem que ser um mestre zen para alcançar a meditação. As pessoas felizes sabem como silenciar suas mentes, em qualquer hora e lugar, para se acalmar.

17. Coma bem.
Tudo o que você come afeta diretamente a capacidade de seu corpo produzir hormônios, o que vai definir seu humor, energia e enfoque mental. Certifique-se de comer alimentos que vão manter seu corpo saudável e em boa forma e sua mente mais tranquila.

18. Faça exercícios.
Estudos têm mostrado que o exercício aumenta os níveis de felicidade e autoestima e produz a sensação de autorrealização.

19. Viva com o que é realmente importante.
As pessoas felizes mantêm poucas coisas ao seu redor porque elas sabem que excessos as deixam sobrecarregadas e estressadas. Estudos concluíram que os europeus são muito mais felizes que os americanos, porque eles vivem em casas menores, dirigem carros mais simples e possuem menos itens.

20. Diga a verdade.
Mentir corrói a sua autoestima e o torna antipático. A verdade sempre liberta. Ser honesto melhora sua saúde mental e faz com que os outros tenham mais confiança em você. Seja sempre verdadeiro e nunca se desculpe por isso.

21. Estabeleça o controle pessoal.
As pessoas felizes têm a capacidade de escolher seus próprios destinos. Elas não deixam os outros dizerem como devem viver suas vidas. Estar no controle completo de sua própria vida traz sentimentos positivos e aumenta a autoestima.

22. Aceite o que não pode ser alterado.
Depois de aceitar o fato de que a vida não é justa, você vai estar mais em paz com você mesmo. Portanto, concentre-se apenas no que você pode controlar e mudar para melhor.

Essa é uma tradução de um texto de Chiara Fucarino, feita por Lili e Marininha, do blog Agora Sim!.

terça-feira, 12 de agosto de 2014

Os Ciganos e a Lua




Para o Povo Cigano, a Lua Cheia é o maior elo de ligação com o “sagrado”, quando são realizados mensalmente os grandes festivais de consagração, imantação e reverenciação à grande “madrinha”. As celebrações da Lua Cheia acontecem todos os meses em torno das fogueiras acesas, do vinho e das comidas, com danças e orações. Também para os Ciganos tudo é vida, é“maktub” (está escrito nas estrelas), por isso são atentos observadores do céu e verdadeiros adoradores dos astros e dos sidéreos. Os ciganos praticam a Astrologia da Mãe Terra respeitando e festejando seus ciclos naturais através dos quais desenvolvem poderes verdadeiramente mágicos.
Para os Ciganos no plano mental a lua representa nosso inconsciente e as nossas emoções. Cada uma destas fases influencia nossa sensibilidade, nossa disposição e, portanto nossas atividades. As fases da lua são muito importantes na magia cigana, como em qualquer outra magia, portanto devemos respeitar as forças da natureza.


· Lua Nova – é o momento da germinação, na busca de novos caminhos. Ficamos mais introspectivos e indecisos. Não é um bom momento para tomarmos decisões. É a época de deixarmos amadurecer nossos propósitos e ideais.


· Lua Crescente – nossas idéias e emoções tornam-se pouco a pouco, mais claras. Ficamos mais objetivos. É o momento de colocarmos em prática o que planejamos. Tornamo-nos mais sociáveis.


· Lua Cheia – simboliza a plenitude. Ficamos mais receptivos.Nosso inconsciente aflora mais facilmente. Tudo que planejamos chega ao seu nível máximo de potencialidade.


· Lua Minguante – este é o período de avaliação daquilo que foi feito. É o momento de terminar tudo que foi iniciado nos ciclos anteriores. Ficamos extremamente sensíveis.

Fonte: http://ciganocurandeiro.blogspot.com.br

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Cigana da Praia





Cigana que os olhos brilham as luzes de Pai Oxalá

Cigana que o sorriso transmite a força de Mamãe Iemanjá

Peço que esteja sempre a me conduzir nos caminhos do nosso Divino Oxalá e que a força para enfrentar os obstáculos da vida esteja embasada em sua fortaleza.

Minha linda Cigana da Praia, cuja magia é seu poder, peço que todos que se sintam meus inimigos sejam perdoados assim como você através do Pai me ensinou a perdoá-los…

Que o amor esteja sempre presente em minha vida e nos meus atos…

Que seja a minha executora kármica fazendo com que eu aprenda por mais que seja sofrido a ser uma pessoa melhor…

Cigana linda, linda Cigana… ensina-me a viver dentro da Lei de Deus, da Lei do amor e da fé, pois sem elas não saberei andar na grande trilha que é a vida…

Ventos que sopram do Oriente, Filha da estrela do Mar, minha Cigana, amiga fiel, sincera, leal, mas acima de tudo justa perante as Leis Cósmicas, estou entregue aos seus passos, sendo fiel assim como és comigo…

Assim sendo minha amiga, me envolva com sua luz reluzente de força para assim eu cortar o mal que possa tirar-me do caminho da espiritualidade e que eu permita que esteja sempre ao meu lado me defendendo nas encruzilhadas dessa encarnação…

Que assim seja

Mãe Kátia


(Mãe Pequena do T.E. Cruzeiro da Luz Cabana do Caboclo Rompe Mato)


terça-feira, 24 de junho de 2014

Um elogio ao amor puro


“Há coisas que não são para se perceberem. Esta é uma delas. Tenho uma coisa para dizer e não sei como hei-de dizê-la. Muito do que se segue pode ser, por isso, incompreensível. A culpa é minha. O que for incompreensível não é mesmo para se perceber. Não é por falta de clareza. Serei muito claro. Eu próprio percebo pouco do que tenho para dizer. Mas tenho de dizê-lo. O que quero é fazer o elogio do amor puro. Parece-me que já ninguém se apaixona de verdade. Já ninguém quer viver um amor impossível. Já ninguém aceita amar sem uma razão.

Hoje as pessoas apaixonam-se por uma questão de prática. Porque dá jeito. Porque são colegas e estão ali mesmo ao lado. Porque se dão bem e não se chateiam muito. Porque faz sentido. Porque é mais barato, por causa da casa. Por causa da cama. Por causa das cuecas e das calças e das contas da lavandaria. Hoje em dia as pessoas fazem contratos pré-nupciais, discutem tudo de antemão, fazem planos e à mínima merdinha entram logo em “diálogo”. O amor passou a ser passível de ser combinado. Os amantes tornaram-se sócios. Reúnem-se, discutem problemas, tomam decisões. O amor transformou-se numa variante psico-sócio-bio-ecológica de camaradagem. A paixão, que devia ser desmedida, é na medida do possível. O amor tornou-se uma questão prática. O resultado é que as pessoas, em vez de se apaixonarem de verdade, ficam “praticamente” apaixonadas.

Eu quero fazer o elogio do amor puro, do amor cego, do amor estúpido, do amor doente, do único amor verdadeiro que há, estou farto de conversas, farto de compreensões, farto de conveniências de serviço. Nunca vi namorados tão embrutecidos, tão cobardes e tão comodistas como os de hoje. Incapazes de um gesto largo, de correr um risco, de um rasgo de ousadia, são uma raça de telefoneiros e capangas de cantina, malta do “tá bem, tudo bem”, tomadores de bicas, alcançadores de compromissos, banancides, borra-botas, matadores do romance, romanticidas.

Já ninguém se apaixona? Já ninguém aceita a paixão pura, a saudade sem fim, a tristeza, o desequilíbrio, o medo, o custo, o amor, a doença que é como um cancro a comer-nos o coração e que nos canta no peito ao mesmo tempo? O amor é uma coisa, a vida é outra. O amor não é para ser uma ajudinha. Não é para ser o alívio, o repouso, o intervalo, a pancadinha nas costas, a pausa que refresca, o pronto-socorro da tortuosa estrada da vida, o nosso “dá lá um jeitinho sentimental”.

Odeio esta mania contemporânea por sopas e descanso. Odeio os novos casalinhos. Para onde quer que se olhe, já não se vê romance, gritaria, maluquice, facada, abraços, flores. O amor fechou a loja. Foi trespassada ao pessoal da pantufa e da serenidade. Amor é amor. É essa beleza. É esse perigo. O nosso amor não é para nos compreender, não é para nos ajudar, não é para nos fazer felizes. Tanto pode como não pode. Tanto faz. é uma questão de azar. O nosso amor não é para nos amar, para nos levar de repente ao céu, a tempo ainda de apanhar um bocadinho de inferno aberto. O amor é uma coisa, a vida é outra.

A vida às vezes mata o amor. A “vidinha” é uma convivência assassina. O amor puro não é um meio, não é um fim, não é um princípio, não é um destino. O amor puro é uma condição. Tem tanto a ver com a vida de cada um como o clima. O amor não se percebe. Não é para perceber. O amor é um estado de quem se sente. O amor é a nossa alma. É a nossa alma a desatar. A desatar a correr atrás do que não sabe, não apanha, não larga, não compreende. O amor é uma verdade. É por isso que a ilusão é necessária. A ilusão é bonita, não faz mal. Que se invente e minta e sonhe o que quiser. O amor é uma coisa, a vida é outra. A realidade pode matar, o amor é mais bonito que a vida. A vida que se lixe. Num momento, num olhar, o coração apanha-se para sempre. Ama-se alguém. Por muito longe, por muito difícil, por muito desesperadamente. O coração guarda o que se nos escapa das mãos. E durante o dia e durante a vida, quando não esta lá quem se ama, não é ela que nos acompanha – é o nosso amor, o amor que se lhe tem.

Não é para perceber. É sinal de amor puro não se perceber, amar e não se ter, querer e não guardar a esperança, doer sem ficar magoado, viver sozinho, triste, mas mais acompanhado de quem vive feliz. Não se pode ceder. Não se pode resistir. A vida é uma coisa, o amor é outra. A vida dura a Vida inteira, o amor não. Só um mundo de amor pode durar a vida inteira. E valê-la também.”

Texto de Miguel Esteves Cardoso 

quinta-feira, 12 de junho de 2014

Santo Antônio de Pádua



No dia 13 junho, a Igreja Católica celebra o dia de Santo Antônio de Pádua, um dos santos mais populares, venerado não somente em Pádua, onde foi construída uma basílica que acolhe os restos mortais dele, mas no mundo inteiro. São estimadas pelos fiéis as imagens e estátuas que o representam com o lírio, símbolo da sua pureza, ou com o Menino Jesus nos braços, que lembram uma aparição milagrosa mencionada por algumas fontes literárias.

Santo Antônio Nasceu em Lisboa, em uma família nobre, por volta de 1195, e foi batizado com o nome de Fernando. Começou a fazer parte dos cônegos que seguiam a regra monástica de Santo Agostinho, primeiramente no mosteiro de São Vicente, em Lisboa, e depois no da Santa Cruz, em Coimbra, renomado centro cultural de Portugal. Dedicou-se com interesse e solicitude ao estudo da Bíblia e dos Padres da Igreja, adquirindo aquela ciência teológica que o fez frutificar nas atividades de ensino e na pregação.

Em Coimbra, aconteceu um fato que mudou sua vida: em 1220, foram expostas as relíquias dos primeiros cinco missionários franciscanos que haviam se dirigido a Marrocos, onde encontraram o martírio. Esse acontecimento fez nascer no jovem Fernando o desejo de imitá-los e de avançar no caminho da perfeição cristã: então, pediu para deixar os cônegos agostinianos e converter-se em frade menor. A petição foi acolhida e, tomando o nome de Antônio, também ele partiu para Marrocos. Mas a Providência divina dispôs outra coisa.

Devido a uma doença, Santo Antônio se viu obrigado a voltar à Itália e, em 1221, encontrou São Francisco. Depois disso, viveu por algum tempo totalmente escondido em um convento perto de Forlì, no norte da Itália. Convidado, casualmente, a pregar por ocasião de uma ordenação sacerdotal, Antônio mostrou estar dotado de tal ciência e eloquência, que os superiores o destinaram à pregação. Começou, assim, na Itália e na França, uma atividade apostólica que levou muitas pessoas que haviam se separado da Igreja a retomarem sua participação e engajamento na vida eclesial.

Nomeado como superior provincial dos Frades Menores da Itália Setentrional, Antônio continuou com o ministério da pregação, alternando-o com as tarefas de governo. Concluído o mandato de provincial, retirou-se para perto de Pádua, local em que já havia estado outras vezes. Depois de apenas um ano, morreu nas portas da cidade, no dia 13 de junho de 1231. Pádua, que o havia acolhido com afeto e veneração em vida, prestou-lhe sempre honra e devoção.

Nos "Sermões", Santo Antônio discorre sobre a oração como uma relação de amor, que conduz o homem a conversar com o Senhor, criando uma alegria que envolve a alma em oração. Antônio nos recorda que a oração precisa de uma atmosfera de silêncio, que não coincide com o afastamento do barulho externo, mas é experiência interior, que procura evitar as distrações provocadas pelas preocupações da alma. Para Santo Antônio, a oração se compõe de quatro atitudes indispensáveis que, no latim, definem-se como: obsecratio, oratio, postulatio, gratiarum actio. Poderíamos traduzi-las assim: abrir com confiança o próprio coração a Deus, conversar afetuosamente com Ele, apresentar-lhe as próprias necessidades, louvá-lo e agradecer-lhe.

(Extraído e adaptado da Catequese do Papa Bento XVI no dia 10 de fevereiro de 2010)





Conheça os símbolos da imagem de Santo Antônio

O Lírio de Santo Antônio

O lírio na imagem de Santo Antônio representa sua castidade e pureza de coração. Simboliza também a estação do ano na qual o santo morreu, o verão no hemisfério norte.


O Menino Jesus com Santo Antônio

No colo de Santo Antônio: representa a extraordinária intimidade do santo com Jesus. Em algumas representações o menino acaricia-lhe o rosto. Todo o dom da pregação de Santo Antônio vem da sua intimidade com Jesus na oração profunda e na Eucaristia. Daí vinha toda a sabedoria e os dons que se manifestavam em Santo Antônio.


O cordão de Santo Antônio

O cordão na Imagem de Santo Antônio representa seus votos perpétuos. O cordão faz parte do hábito franciscano. É um cinto de corda que contém três nós. Estes nós simbolizam os votos de obediência, pobreza e castidade, que todo religioso franciscano professa quando faz os votos perpétuos


A tonsura de Santo Antônio


O cabelo raspado no centro da cabeça se chama tonsura e representa o voto de castidade de santo Antônio. A tonsura era uma cerimônia religiosa, na qual o Bispo raspava o cabelo de quem estava sendo ordenado no primeiro grau da Ordem. A tonsura tinha também o significado de renuncia das vaidades e ser como o Cristo, sendo coroado rei que se oferece a serviço de todos


O Terço de Santo Antônio

O Terço na imagem de Santo Antônio representa sua entrega e devoção à Mãe de Deus. Santo Antônio começou a ser representado com o Terço na cintura, no século XVI, para mostrar que ele era homem de oração. O terço também fazia parte do hábito franciscano. - 
(Fonte: Arautos do Evangelho)


Santo casamenteiro

Assim é invocado pelas pessoas que desejam se casar e lembrado pelo nosso folclore. Não se sabe qual a origem dessa devoção. Talvez esteja ligada a algum milagre feito pelo santo em favor das mulheres, por exemplo, quando fez um recém-nascido falar para defender a mãe acusada injustamente de infidelidade pelo pai.

Mas há outro episódio com explicação mais direta. Certa senhora, no desespero da miséria a que fora reduzida, decidiu valer-se da filha, prostituindo-a, para sair do atoleiro. Mas a jovem, bonita e decidida, não aceitou de forma alguma. Como a mãe não parava de insistir, a moça resolveu recorrer à ajuda de Santo Antônio. Rezava com grande confiança e muitas lágrimas diante da imagem quando, das mãos do Santo, caiu um bilhete que foi parar nas mãos da moça. Estava endereçado a um comerciante da cidade e dizia: "Senhor N..., queira obsequiar esta jovem que lhe entrega este bilhete com tantas moedas de prata quanto o peso do mesmo papel. Deus o guarde! Assinado: Antônio".

A jovem não duvidou e correu com o bilhete na mão à loja do comerciante. Este achou graça. Mas, vendo a atitude modesta e digna da moça, colocou o bilhete num dos pratos da balança e no outro deixou cair uma moedinha de prata. O bilhete pesava mais! Intrigado e sem entender o que se passava, o comerciante foi colocando mais uma moeda e outras mais, só conseguindo equilibrar os pratos da balança quando as moedas chegaram a somar 400 escudos. O episódio tornou-se logo conhecido e a moça começou a ser procurada por bons rapazes propondo-lhe casamento, o que não tardou a acontecer, e o casamento foi muito feliz. Daí por diante, as moças começaram a recorrer a Santo Antônio sempre que se tratava de casamento.
Santo das coisas perdidas

Esta tradição é antiquíssima, encontrando-se menção dela no famoso responsório "Si quaeris miracula", extraído do ofício rimado de Juliano de Espira. Popularmente, o "Siquaeris" é mencionado como uma oração para encontrar objetos perdidos. A crença pode estar ligada a episódios da vida de Santo Antônio como este: Quando ensinava teologia aos frades em Montpeilier, na França, um noviço fugiu da Ordem levando consigo o Saltério de Frei Antônio, com preciosas anotações pessoais que utilizava nas suas lições. Antônio rezou pedindo a Deus para dar jeito de reaver o livro e foi atendido deste modo: enquanto o fugitivo ia passando por uma ponte, foi subitamente tomado pelo pavor, parecendo-lhe ver o demônio na sua frente que o intimava: "Ou você devolve o Saltério ao Frei Antônio ou vou jogá-lo da ponte para o rio!" Assustado e arrependido, o jovem voltou ao convento com o saltério e confessou ao santo a culpa.

O "pão dos pobres"

Essa prática consiste em doações para prover de pão os pobres, honrando assim o "protetor dos pobres" que é Santo Antônio. Uma tradição liga essa obra ao episódio de uma mãe cujo filho se afogou dentro de um tanque, mas recuperou a vida graças a Santo Antônio. A mulher prometera que, se o filho recuperasse a vida, daria uma porção de trigo igual ao peso do menino. Por isso, no começo, esta obra foi conhecida como a obra do "pondus pueri" (peso do menino). Outra tradição relaciona a obra do pão dos pobres com uma senhora de Tbulon, chamada Luísa Bouffier. A porta do seu armazém tinha enguiçado de tal modo que não havia outro remédio senão arrombar a porta. Fez, então, uma promessa ao santo: se conseguisse abrir a porta sem arrombá-la, doaria aos pobres uma quantia de pães. E deu certo. Daí por diante, as petições ao santo foram se multiplicando em diferentes necessidades. Toda vez que alguém era atendido, oferecia certa quantia de dinheiro para o pão dos pobres. A pequena mercearia de Luísa Bouffier tornou-se uma espécie de oratório ou centro social. A benéfica obra do "pão dos pobres" teve extraordinário desenvolvimento, com diferentes modalidades, e hoje é conhecida em toda parte.

Trezena

É uma "novena" de 13 dias, lembrando a data da morte de Santo Antônio. Também se lembra o dia 13 de cada mês, porque "dia 13 não é dia de azar, é dia de Santo Antônio". Outros lembram Santo Antônio nas quartas-feiras, dia em que foi sepultado.

(Extraído e adaptado dos Cadernos Franciscanos, "Santo Antônio e a devoção Popular", de Frei Adelino Pilonetto, Ofmcap).